O início de tudo

De onde vem o que pensas, o que sentes, o que imaginas? De onde vêm os teus comportamentos? De onde vem tudo o que és? Como é que dás sentido ao mundo à tua volta?

Acredito que sejam perguntas que já terás colocado a ti próprio inúmeras vezes.

A Psicologia também o procura fazer. Compreender e explicar os comportamentos humanos. Uma área fascinante para muitos de nós. Porquê?

 

Porque ela estuda a alma.

 

Literalmente, a Psicologia estuda a alma. Do latim Psyché (alma), logia (estudo). Fica como tema, com toda a certeza, para um próximo artigo.

Antes de entrarmos por aqui, gostaría de te levar um pouco mais atrás e falar sobre o sistema nervoso (SN) porque é ele que dá sentido a toda a tua experiência de vida.

 

São as partes do SN que te permitem perceber o mundo à tua volta. Ver, ouvir, cheirar, pensar, imaginar, sentir.

 

Tudo isto depende do teu SN. Até a tua capacidade para saberes onde estás e de te lembrares onde já estiveste. Se queres perceber um pouco melhor como funcionas e como aplicar conhecimento em ti, é por aqui que temos que começar.

 

Isso tudo não está no cérebro?

 

A razão pela qual falo em SN e não no cérebro é porque o cérebro é apenas uma parte do SN. O SN é constituído pelo cérebro, espinal medula e todas as conexões entre o cérebro, a espinal medula e os órgãos do corpo. E também inclui todas as conexões entre os órgãos do corpo de volta à espinal medula e ao cérebro.

 

Na estrutura do SN, o cérebro é o centro de controlo e a espinal medula é a autoestrada por onde viajam todas as mensagens que vão desde o cérebro até ao resto do corpo e do corpo de volta ao cérebro, para que ele possa interpretar e dar uma resposta.

 

A maneira como funcionas, em todos os níveis, desde o dia em que nasces até ao dia em que morres, tudo o que pensas, que te lembras, sentes e imaginas está neste loop contínuo de comunicação entre cérebro, espinal medula, corpo e corpo, espinal medula, cérebro. Não os conseguimos separar.

 

É um loop contínuo de ligações, conexões.

 

Um bom exemplo disto é Möbius strip. Aquelas figuras impossíveis em que não interessa para que ângulo olhes, não consegues perceber onde começa e onde acaba. É exatamente assim que o teu SN é construído.

Quando falamos de experienciar ou mudar o self (o eu), seja de que forma for, é fundamental pensar no SN em primeiro. Porquê? Porque é ele que governa todos os outros sistemas biológicos do corpo e é influenciado por eles.

 

O SN é essa coisa gigante?

 

O SN não é uma coisa gigante nem uma célula gigante, bem pelo contrário. É constituído por coisas bem pequeninas e tenho a certeza que já terás ouvido falar deles.

 

Os neurónios.

 

Fica para um próximo artigo…

Caso tenhas curiosidade, acompanha os artigos aqui no Blog ou, se és apreciador de podcasts, podes também acompanhar o Podcast “Estás mesmo aqui? Faz mais do que existir” em http://www.deboramonteiro.pt/podcast/

E também:

ApplePodcasts https://url.gratis/Xs0OSN

YouTube https://url.gratis/i0YzHa

Twitter https://twitter.com/deboravmonteiro?s=20